Teste do Pentax K-3 II | Agora

[ad_1]

A Pentax K-3 II (corpo de $ 1.099,95 apenas) é uma atualização intrigante para o K-3 ($ 1.085,95 em Adorama) . O formato do corpo não mudou, assim como o sensor de imagem APS-C de 24 megapixels e o sistema de foco automático. Mas o flash embutido se foi, foi substituído por um GPS, e um modo inovador de resolução Pixel Shift foi adicionado. Ainda assim, existem áreas óbvias para melhorias em relação ao K-3 original que foram ignoradas. O Wi-Fi ainda está faltando – embora um cartão de memória sem fio esteja incluído – e a qualidade do vídeo está bem atrasada. Se você é um atirador da Pentax pensando em uma atualização, vale a pena considerá-la – especialmente porque ela já está vendendo por muito menos do que seu preço de varejo. Escolha do nosso editor para APS-C pró-grau câmeras ainda é o Canon EOS 7D Mark II, que possui um sistema de foco automático que está em um nível completamente diferente do da concorrência. Mas a 7D tem um preço muito alto e não será muito bom se você tiver investido em lentes Pentax.

Nossos especialistas testaram 77 Produtos na categoria Câmeras este ano

Desde 1982, a PCMag testou e classificou milhares de produtos para ajudá-lo a tomar melhores decisões de compra. (Veja como testamos.)

Design e controles
O K-3 II ($ 1.085,95 em Adorama) mantém o mesmo design e controles básicos do corpo de seu antecessor. É pequeno para uma SLR de sua classe, medindo 3,9 por 5,2 por 3,1 polegadas (HWD), mas pesa 1,8 libra. O Nikon D7200 ($ 1.085,95 em Adorama) é um pouco maior (4,2 por 5,3 por 3 polegadas), mas não tão robusto com 1,5 libra. O tamanho geral do K-3 II certamente se beneficia de seu sistema de lentes, que inclui uma série de lentes pequenas e bem construídas, incluindo a selada contra intempéries HD DA 20-40mm F2.8-4 ED Limited DC WR ($ 1.085,95 em Adorama) zoom padrão e incrivelmente fino HD DA 40mm F2.8 Limitada ($ 1.085,95 em Adorama) .

Pentax K-3 II: imagem de amostra

O K-3 II, que está disponível apenas na cor preta, não é oferecido em uma configuração de kit. Isso permite que você escolha a lente ou lentes com as quais começar. Além de lentes de foco automático modernas, ele pode usar qualquer lente de montagem K de foco manual. O visor é um pentaprisma de vidro sólido com 100 por cento de cobertura do quadro e ampliação de 0,95x. É maior à vista e mais brilhante do que os localizadores de pentamirror encontrados em SLRs básicos, como o Canon EOS Rebel T6s ($ 1.085,95 em Adorama) . Um disparo vertical opcional e empunhadura de bateria estão disponíveis ($ 229,95), que também é vedada contra poeira e umidade, assim como as unidades de flash externo Pentax mais recentes. Esse é um ponto importante aqui, já que o K-3 II não tem flash embutido.

A maioria dos fotógrafos que pega uma câmera de nível profissional evita usar o flash pop-up simplesmente porque sua qualidade é deficiente em comparação com uma unidade externa maior que pode ser rebatida ou usada fora da câmera. É o último caso em que houve reclamações sobre a decisão da Ricoh de omitir o flash da câmera, já que uma de suas capacidades é controlar unidades de flash externas posicionadas longe da câmera.

Pentax K-3 II: imagem de amostra

Deixando essa mudança de lado, o K-3 II parecerá familiar para veteranos pentaxianos. Há vários controles no lado esquerdo do corpo – um botão de alternância para alternar entre a operação de foco manual e automático, um botão para escolher o modo de foco automático, um botão Raw / Fx programável e outro para alternar o GPS.

O seletor de modo fica na placa superior, à esquerda do visor. É um design de travamento, com uma chave seletora para engatar ou desengatar a trava e um botão que é pressionado para mover o dial quando a trava está habilitada. Um grande LCD monocromático fica à direita do visor. Ele exibe as configurações atuais da câmera e tem uma luz de fundo verde para melhorar a visibilidade em várias condições. À frente dele estão dois botões – compensação EV e ISO – e o botão liga / desliga integrado e liberação do obturador. Mover a chave além da posição Ligado ativa a visualização da profundidade do campo. O K-3 II possui dial de controle dianteiro e traseiro. O seletor frontal fica no punho, logo à frente do botão do obturador.

Pentax K-3 II: imagem de amostra

O restante dos controles fica na parte traseira. O botão Play e um botão para ajustar o padrão de medição ficam sozinhos no canto superior esquerdo, imprensado acima do LCD e à esquerda da ocular. Correndo ao longo da parte superior, à direita da ocular, estão o botão Live View / Record, o dial de controle traseiro e os botões AF e AE-L. Diretamente abaixo do dial de controle está o botão verde, um grampo Pentax e uma chave seletora para definir o modo Live View para fotos ou vídeo.

Abaixo da chave está um teclado de controle de quatro direções, com posições para ajustar o modo de direção, ajustar as configurações de JPG, controlar um flash externo e ajustar o equilíbrio de branco. O teclado de controle também é usado para alterar o ponto de foco ativo, com um botão à direita para alternar entre suas funções. Os botões Info e Menu completam os controles traseiros.

Pentax K-3 II: imagem de amostra

O botão Info muda o que é mostrado no LCD traseiro. Por padrão, o K-3 II exibe as configurações de disparo atuais no LCD traseiro, mas também pode exibir um nível eletrônico ou bússola eletrônica, ou ser totalmente desligado. O LCD em si é de 3,2 polegadas com resolução de 1.037 mil pontos. É um dos mais nítidos que você encontrará em uma SLR e não há espaço de ar entre o painel e sua tampa protetora, o que melhora a clareza. É um LCD fixo que não inclina nem gira, por isso não é tão útil para vídeo quanto a tela de ângulo variável usada pelo Canon EOS 70D ($ 1.085,95 em Adorama) . A K-3 II não é a melhor câmera para uso com vídeo, independentemente do LCD, mas seu display de ângulo variável é útil para focalizar manualmente as fotos usando Live View.

Astrotracer e Flucard
O GPS da câmera adiciona dados de localização automaticamente às imagens quando ativado. É uma ferramenta útil para geotaggers e viajantes do mundo. Mas não foi por isso que a Ricoh decidiu incluí-lo no K-3 II, especialmente à custa do flash. O GPS possui um recurso chamado Astrotracer, que funciona em conjunto com o sistema de redução de vibração do corpo do K-3 II. Ele move o sensor durante longas exposições para compensar a rotação da Terra. Pode ser usado para exposições de até cinco minutos de duração.

Para usar o Astrotracer, você primeiro precisa calibrar a bússola – isso é feito no sistema de menus, no submenu GPS na segunda página. Quando o Astrotracer estiver habilitado, você verá uma opção para Calibração precisa, que requer que você mova a câmera cerca de três eixos até que seja calibrada com sucesso. Uma vez feito isso, você precisará definir o K-3 II para foco manual, mudar o dial de modo para B (Bulb), certificar-se de que o GPS está ativado e usar Bulb ou Exposição cronometrada (usando o botão verde para alternar entre eles). Se você fizer tudo certo, verá um ícone de estrela cadente no canto superior esquerdo do LCD traseiro e poderá ouvir o sensor se movendo durante as exposições se colocar o ouvido na câmera. As exposições temporizadas são limitadas a cinco minutos e você deve seguir o mesmo limite ao fotografar no modo Bulb. O Astrotracer não é um recurso novo nas SLRs Pentax, mas esta é a primeira vez que ele foi integrado. Anteriormente, você tinha que comprar o acessório O-GPS1 ($ 249,95) para habilitar a funcionalidade.

Pentax K-3 II: Astrotracer desativado

Meus primeiros resultados com o Astrotracer foram decepcionantes. Não sou astrofotógrafo de forma alguma – estou sempre adivinhando com relação aos tempos de exposição, aberturas e ISOs ao fotografar o céu noturno. Mas em várias tentativas, com tempos de exposição variando de dois minutos a no máximo cinco minutos, acabei com estrelas que não eram nada pontuais. O Astrotracer indicou que estava ligado e tenho certeza de que pude ouvir o sensor se movendo, mas simplesmente não funcionou como anunciado – até mesmo exposições de dois minutos mostraram rastros.

Minha segunda experiência com o Astrotracer foi mais positiva. Corri uma série de exposições de dois e cinco minutos com e sem o GPS habilitado para ver se conseguia detectar a diferença. Você pode ver a diferença claramente na foto de dois minutos com o Astrotracer desativado (acima) e com ele ativado (abaixo). Minhas fotos de cinco minutos não foram tão boas; O Astrotracer certamente diminuiu os rastros, mas as estrelas ainda aparecem como rastros curtos para o tempo máximo de exposição com uma lente de distância focal de 20 mm. Uma coisa que você deve observar: embora minhas fotos do céu noturno não tenham sido capturadas por motivos artísticos, a maioria das grandes fotos de astrofotografia que vi incorporam alguns elementos de paisagem. Se você usar o Astotracer, os objetos no solo ficarão desfocados devido ao movimento do sensor, o que significa que você ainda precisará compor fotos juntas se quiser uma imagem que incorpore a terra e o céu.

Pentax K-3 II: Astrotracer

Embora o GPS esteja integrado, o Wi-Fi não está. A Pentax inclui seu cartão de memória sem fio Flucard de 16GB com o K-3 II. Você precisará colocá-lo no segundo slot de cartão de memória para usá-lo, o que é um pouco deprimente. Câmeras de dois slots com Wi-Fi integrado, como a Nikon D7200, permitem que você coloque um cartão de memória rápido em cada slot para que você possa criar um backup em tempo real das imagens (no caso de você acabar com um cartão de memória ruim), ou simplesmente para usar o segundo slot para estouro quando o primeiro estiver cheio. Se você optar pelo primeiro com a placa sem fio, você limitará a velocidade com que o K-3 II pode gravar arquivos ao trabalhar em modo burst, e se você optar pelo último, não poderá transferir imagens para o seu smartphone, tablet ou computador via Wi-Fi – o Flucard só pode copiar imagens que estão armazenadas diretamente nele.

Pentax K-3 II: Flucard

Quando o Flucard está em uso, é melhor gravar imagens Raw no primeiro slot de cartão e salvar JPGs no próprio Flucard. Isso maximiza a velocidade na qual a câmera grava arquivos e dá acesso às imagens via wi-fi. Enquanto a maioria das empresas de câmeras usam uma abordagem baseada em aplicativo para transferência, a Pentax não o faz aqui. Em vez disso, o K-3 II pode ser acessado por meio de um navegador da Web, de modo que qualquer dispositivo – até mesmo Windows Phones – pode acessá-lo. Você pode navegar pelas fotos e salvá-las ou controlar remotamente a câmera por meio da interface da web. O controle manual completo está disponível, o que é uma vantagem quando comparado com as opções de controle remoto limitadas oferecidas por modelos concorrentes (incluindo a Nikon D7200). A principal desvantagem da abordagem da Web é que as imagens são perceptivelmente mais lentas para carregar durante a navegação pelas fotos e a transferência em lote para o seu dispositivo não é compatível.

DesempenhoPentax K-3 II: testes de referência
O K-3 II inicia e captura uma imagem em foco em cerca de 0,9 segundo, o que está um passo atrás de algumas outras SLRs em sua classe. A Nikon D7200 requer apenas 0,2 segundo para fazer isso. Mas uma vez que a câmera é ligada, ela responde. Sob luz forte, o sistema de foco automático de 27 pontos trava e dispara em 0,05 segundos. Ele desacelera para cerca de 0,7 segundo em condições de pouca luz, o que é apenas um passo atrás do D7200 de 0,6 segundo. O foco da visualização ao vivo é mais lento; o K-3 II leva cerca de 0,9 segundo para focar ao usar o LCD traseiro em luz forte e desacelera para 1,3 segundo em condições de pouca luz.

Pentax K-3 II: imagem de amostra

Quando o foco está definido para AF-S, a taxa de burst é de excelentes 8 fps. O buffer de captura é grande – a câmera mantém esse ritmo para exposições 24 Raw + JPG ou Raw, ou cerca de 70 fotos se você estiver fotografando apenas em JPG. A velocidade do foco contínuo varia de acordo com a seleção da lente. Achei o K-3 II frustrantemente lento ao trabalhar com um SMC DA * 60-250mm F4 ED (IF) SDM ($ 1.085,95 em Adorama) e tentando fotografar beija-flores, devido à sua velocidade e movimento errático.

Tive mais sorte ao usar uma pré-produção HD D FA 150-450mm f / 4.5-5.6 DC AW ($ 2.499,95), mas ainda era notavelmente mais lenta do que uma Canon 7D Mark II emparelhada com a EF 100-400mm f / 4.5-5.6L IS II USM ($ 1.085,95 em Adorama) ampliação. Os testes de laboratório, realizados com o 20-40mm Limited, mostraram que a taxa de burst diminui para cerca de 3,6 fps quando o AF-C está ativado. A taxa de acerto para fotos em foco não é perfeita, mas está no mesmo nível de outras SLRs em sua classe. Se a taxa de foco contínuo atende ou não às suas necessidades depende muito do que você fotografa e se você usa lentes que focam mais rápido do que as que testamos. Infelizmente, Sigma não oferece seu excelente 150-600mm f / 5-6.3 DG OS HSM Contemporâneo ($ 1.085,95 em Adorama) para câmeras Pentax, como eu imagino que o motor de foco extremamente rápido nessas lentes aceleraria a taxa de burst do K-3 II ao fotografar em AF-C. Se você está interessado em …

[ad_2]

Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.